Debata "Lugar de Fala: Representação de Gênero e Raça"

5 de Novembro de 2017


Debate Curta Cinema 2017:

O curta-metragem sempre foi um formato livre de amarras mercadológicas e burocráticas. Nada mais natural do que ser o local de reflexão e debate acerca de temas importantes e potencialmente transformadores. 

"Lugar de Fala: Representação de Gênero e Raça e Desconstrução do Colonialismo no Cinema Brasileiro"

Mediação: Sabrina Fidalgo – Cineasta e roteirista

Debatedores: Déborah Ivanov – Diretora-Presidente da Ancine

Ilda Santiago – Diretora do Festival do Rio – Criadora do Prêmio Félix

Stephen Bocskay – Professor de cinema

Marcia Rangel Cândido – Pesquisadora da GEMAA

Adélia Sampaio - Cineasta

O último boletim do GEMAA (Grupo de Estudos Multidisciplinares de Ações Afirmativas da UERJ) apresentou o perfil de raça e gênero dos filmes brasileiros de maior público lançados entre 1995 e 2016. A partir dos dados disponibilizados pelo Observatório Brasileiro do Cinema e do Audiovisual (OCA-ANCINE), foram analisados elencos, roteiristas e diretores/as dos 10 filmes de maior público de cada ano, totalizando um corpus de 219 tramas. Os resultados mostram que, na última década, o cinema nacional foi majoritariamente feito por homens brancos. As mulheres negras, por sua vez, sequer estão presentes nas posições de roteiro e direção e são o grupo mais sub-representado nos elencos. O debate busca ascender as questões contemporâneas acerca da falta de representatividade de mulheres, pessoas negras e LGBTQs na cinematografia nacional por trás e na frente das câmeras, assim como a perpetuação de visões coloniais que refletem estereótipos e estigmas.

PATROCÍNIO
PROMOÇÃO
REALIZAÇÃO